Roberta Farig - Escritora

Seguir esse Blog!

Encontre-nos no facebook

Popular Posts

Bárbara Silva está lendo...

Roberta Farig está lendo...

Carol Zanin está lendo...

About

domingo, 15 de fevereiro de 2015
Só quero avisa-los que essa postagem contem detalhes do filme - 50 Tons de Cinza.

Olá pessoas, tudo bem?
Bom hoje vou falar um pouquinho sobre e minha experiência de assistir o filme mais comentado dos últimos tempos. O badalado 50 Tons de Cinza.




Não posso negar que eu também era umas das estéricas que surtavam com cada noticia que saía na mídia sobre os bastidores e primeiras cenas do filme. Só que diferente de alguns que assistirão por curiosidade, eu assisti para complementar minha visão sobre toda essa história.

Para começar vou falar um pouco sobre o que senti, o que entendi e a impressão que o livro me deu assim que terminei de lê-lo.

50 Tons de Cinza foi uma leitura totalmente nova para mim. De inicio sentia certo preconceitos a cerca do tema proposto pela autora, o sexo sadomasoquista, entre um dominante (machista) e uma submissa (a coitadinha). Ao começar a ler a curiosidade me motivou a continuar e no desenrolar da história percebi que era mais um livro muito intenso e apaixonante, diferente da visão que eu tinha por conta dos boatos que rolavam.
O Sr Grey é um homem que despertou em mim duas impressões iniciais: Amor e Ódio. Comecei na verdade sentido calafrios a cada página devorada (devorada, pois o li em pouco mais de 24 horas, isto é nem dormi). Mas então, a cada avanço em minha leitura passava a conhecer um mundo sexual totalmente novo para mim. Na verdade as primeiras linhas dos encontros amorosos dos personagens Grey e Anastásia me deixaram assustada e apaixonada. O fato do Grey deixar por minutos de lado seus instintos para dar a Ana a tão sonhada e especial primeira vez, deixou-me apaixonada por esse personagem. Nasceu ai meu amor por esse livro que até então me deixava apenas exitada. Foi lindo, foi carinhoso, foi um sonho a primeira vez da Ana, acredito ate que este seja o sonho de muitas mulheres. Ter sua primeira noite de amor com um homem que sabe o que faz e como faz, e que este homem seja especial, como o Grey havia se tornando em poucos dias para ela, é tudo de bom. O triste é que nem tudo são flores, e no caso deste dominante, flores são raras de serem vistas. Começa então o difícil e instigante relacionamento de Grey e Anastásia.
O legal do livro é que mesmo ele sendo um dominante, demostra que tem uma fragilidade, um medo profundo e sincero de se apaixonar. Anastásia é uma menina ainda extremamente frágil e sincera, o que desperta no Sr Grey instantaneamente seus desejos dominadores. Desde a entrevista até o primeiro beijo, dentro do elevador (ahhh o elevador) ele acha que esta no controle da situação, e acredita piamente que ela será apenas mais uma de suas submissas. Só que a linda Anastásia se assusta com todo o mundo de envolve o fato de eles terem um relacionamento e acreditando que pode persuadi-lo ela resolve jogar com ele. Deste jogo nasce uma paixão avassaladora que envole muito sexo, dominação, mas também muito amor. Ela resolve encarar o mundo dele, acha que dará conta, mas os limites de seu corpo é ultrapassado em um momento de tensão na historia, onde o Grey totalmente estressado e alterado quer castiga-la para satisfazer-se. Anastásia não resiste a tanta loucura e pressão e resolve dar fim a aquela relação.  Nesse momento nasce minha relação de ÓDIO com o Sr Christian Grey. Pois é, e o livro acaba ai... a que raivaaaaaa!!!!!!!!!

Agora vamos a minha impressão referente ao filme 50 Tons de Cinza.

Ohhhh meu Deus... que filme foi esse????

Uma palavra pode descrever este filme aos meus olhos - INTENSO!!!!

Na verdade ele superou todas as minhas expectativas, sério, foi tudo tão perfeito que não tenho nada do que reclamar. Os atores foram fenomenais, pois encarnaram os personagens com maestria. A Dakota é a Anastásia perfeita, deu até mais atitude e a real forma a personagem, escolha perfeita. O Jaime então...  é o Sr Grey em carne e osso! Hoje dou graças a Deus por o outro ator convocado não ter aceito o papel, pois não vejo outro ator interpretando poderoso Grey.




As cenas do filme foram fieis ao livro, tendo apenas alguns detalhes modificados, o que me fez vagar por toda a história. Não consegui sentir falta de nada ali. Tá talvez de alguma coisinha, mas acredito muito que foi proposital, afinal temos mais dois filmes ainda por vir complementando a história. O primeiro beijo no elevador... Os diálogos... As brincadeiras... O contrato... Os passeios de helicóptero e plainador... E a primeira vez da Anastásia... OHHH MINHA SANTINHA DAS MULHERES ROMÂNTICAS... O que foi aquilo??? Grey se superou ein... desejei ser ela ali naquela cena.., ohh se desejei. 




A sequencia da cena também foi digna de um romance de emocionar a qualquer um... Afinal que mulher não sonha em ser possuída e acarinhada como nossa Ana foi... O banho mesmo foi demaissssss




As cenas do - quarto vermelho da dor ou sala de jogos - foram bastante reais, demonstrando o lado dominador que o personagem tem com riqueza de detalhes. A minha preferida em relação ao estilo e vida sexual do Grey e a cenas das chicotadas... Por Favor!!!! Achei que ia sentir-me agredida, mas na verdade fui tomada por uma sensação de excitação incrível.




O Jaime soube fazer todas a expressões que o personagem continha em sua descrição literária. Inicialmente poucos sorrisos, raros sinais de sentimentos, apenas a intensidade de que seu lado dominador em todas as esferas seja predominante. Depois é notória a mudança do personagem, quando ele sente medo de aproximar-se da Anastásia, mas ao mesmo tempo percebe que não consegue ficar longe dela. Foi delicioso ver o Grey encarnado neste ator... combinação perfeita.




E a Dakota então, deixou a visão de muitos que a chamavam de atriz sem sal de lado e deu sentido a personagem. Ela soube usar e abusar dos detalhes da personagem, dando a ela uma personalidade ímpar. Teve atitude, brincou com as situações e mostrou-se bem imatura e insegura quando a ocasião pedia. Alem de ela ser fisicamente muito parecida com toda a descrição da personagem... Ela simplesmente superou minha expectativas.




Bom, em resumo eu digo... O FILME FOI LINDO! Na verdade não conseguira reunir palavras o suficiente para descreve-lo com exatidão, mas posso dizer que diferente do que muitos pensavam, esse filme, assim como o livro conta mais do que a história de um homem dominador e sua submissa. Ele conta a história de um ser que sofreu traumas em sua vida e que usa um estilo de vida sexual para se proteger. Um homem que usa o autoritarismo e dominação em todas as esferas de sua vida como defesa, simplesmente pelo fato de não conhecer outro meio de viver. Mas ele se rende aos encantos da linda e estigante Anastásia, que também encontra nessa relação uma maneira de extravasar seus desejos e sonhos mais ocultos. Ela é linda, pura e verdadeira, o que desperta nele um novo sentimento, o de amar alguém sem medo e ao mesmo tempo com medo. Sim, pois ele passa a não ter medo de envolver-se com ela, transformando-a em sua necessidade vital, só que teme por ela não suportar a pressão que é conviver com seu mundo particular. 




Complementando ainda eu posso dizer com TOTAL CERTEZA que o filme deu um tapa  na cara com luvas de pilica nas pessoas que classificavam a história como - um filme pornográfico - ou ainda como - um filme que retrata a violência de um homem para com uma mulher. Essa relação sexual acontece de maneira consensual entre as partes, que visam unica a exclusivamente o prazer de ambos e a satisfação dos seus desejos mais ocultos e íntimos.  Afinal, como dizem - Entre quatro paredes vale tudo que seus desejos, limites e imaginação permitirem.
Muito ainda vai ser revelado e mostrado... O segundo livro é a chave para muitos mistérios...  E eu acredito que por isso muitos estão reclamando de algumas cenas e momentos retratados no primeiro livro que "faltaram" no filme. Eu particularmente acredito que foi proposital, pois são chaves mestres para o desenrolar da história, e isso aguçará e apimentará o segundo  filme, que na minha opinião será o melhor da trilogia, em decorrência de seu livro.




É isso pessoas... Esse é um resuminho da minha visão do livro e do filme - 50 Tons de Cinza! Fiquei com gostinho de quero mais, muito mais. Só que pelos boatos vamos ter que esperar mais um pouquinho para conferir a continuação desta linda e quente história de amor entre Christian Grey e Anastásia Steele.

Espero que tenham gostado da minha visão sobre a historia... Obrigada pela visita!
Não esqueçam de deixar suas opiniões,  por favor, afinal isso vai nos ajudar a sempre aprimorar nossas postagens para agradar ao máximo de pessoas possível.



Beijinhos no coração
Roberta Farig.

6 comentários:

Roberta Del Carlo disse...

Amei!
Foi assim mesmo, acho que a saga Grey vai durar por muitos e muitos anos mesmo se tivesse ficado apenas nos livros, mas ver se materializar nos levou a loucura e um ciclo que fecha e outro que abre.
Adorei a sua visão Ro!!!!
bjoss

Alizay Mian disse...

Perfeita visao, a Dakota me surpreendeu muitooo arazou, ele sempre gostei pois nao aceitava a primeira escolha, amooo os livros e o filme tbm adorei bjs

Alizay Mian disse...

Perfeita visao, a Dakota me surpreendeu muitooo arazou, ele sempre gostei pois nao aceitava a primeira escolha, amooo os livros e o filme tbm adorei bjs

Alizay Mian disse...

Perfeita visao, a Dakota me surpreendeu muitooo arazou, ele sempre gostei pois nao aceitava a primeira escolha, amooo os livros e o filme tbm adorei bjs

carine cá disse...

Super concordo!

carine cá disse...

Super concordo!